domingo, 31 de outubro de 2010

CIVISMO, CIVIL IDADE, CIVILIZ AÇÃO




Sempre me identifiquei com John lennon,

mas ele estava errado: pessoas acabam mas...

OS SONHOS NÃO ACABAM.

ELES SE TRANSFORMAM.

Na realidade,

facistas, enraizados em seus delírios,  pensam representar todos,

mas só representam suas bestialidades.

Por isso a cada eleição temos os poder de sermos civicos.

 Então... SEJAMOS CÍVICOS!

e continuemos a trabalhar

para vivermos entre seres mais civilizados.





sábado, 30 de outubro de 2010

ALQUIMIA HUMANA

Romã do meu pequeno pomar


No quarto sonho eu estava num local que havia um pomar muito grande, entretanto o homem que morava naquele local era infeliz. Eu queria encontrá-lo, tentar reanimá-lo, parabenizá-lo pelo gosto de residir ali, de cuidar daquelas árvores frutíferas, dizer que tinha adorado aquele pomar, que adoraria morar num local como aquele, entretanto, não conseguia achar esse homem e nem sabia se ele estava naquele local em tal momento. Eu sentia existir um vínculo forte entre eu e esse homem, sentia que tinha capacidade para melhorar seu emocional, mas não o via e, com isso, sentia como se ele estivesse presente ali, mas apenas numa dimensão espiritual e não mais material. Contrastando com o belo pomar, pairava um peso misterioso e triste sobre aquele cenário.

Pomar nos remete a frutos. Resultados de conquista, de trabalho exaustivo, de princípio de realidade e de colheita. Colher o que se planta, saborear o fruto do trabalho.

O fruto já foi comparado ao Ovo do mundo, símbolo das origens, dos desejos sexuais, de prosperidade, da abundância que aflora na cornucópia da Deusa da fecundidade.

A vida é assim... Se plantarmos temos o que colher, se temos disponibilidade para investir saborearemos resultados.

O cenário é belo, agradável, harmonioso, adorável. Resultado da intervenção laboriosa de um Homem, que não se mostra.

Este é um foco que me intriga. Talvez seja um resultado positivo do seu arquétipo masculino. Poderia traduzir minha associação da seguinte forma:

O arquétipo masculino em você, sua alma masculina atua ou tem a tendência a evoluir para a harmonia, dando-lhe frutos de seu campo. É um criador de realidades e deve aparecer com o resultado do que produz ou promove e não como resultado de repressão.

Na repressão, já o vimos, ele surge de forma destruidora e devastadora. Na harmonia vemos que ele acrescenta e enriquece a vida produzindo riquezas.

Esta me parece uma forma saudável do arquétipo intervir na sua vida. Participando do processo de transformação da terra fértil. Essa transformação produtiva modifica o cenário, ordena-o, participando da lei da comunhão: Trabalha a terra, planta a semente, oferece luz e alimento, elimina as pragas, espera as estações pacientemente e colher os frutos.

Quando trabalhamos a integração dos opostos assimilamos o melhor do oposto em nós. Quando não abrimos espaço para este universo “estranho”, ele se transforma num desagregador, dissociador.

A tristeza que percebe ao final parece-me um resultado da frustração em não localizar o criador. É você diante do mundo desconhecido e misterioso, e essa sensação todos experimentamos quando nos defrontamos com a singularidade de nossa existência.

Somos assim únicos, nascemos do nada para sermos constituídos por uma herança que atravessa os tempos, vivemos num universo insólito ancorados em certo conforto que a racionalidade nos permite. Mas... Vivemos num mundo misterioso, profundamente misterioso, e quanto mais tomamos consciência disso mais descobrimos a nossa solidão.

Isso pode parecer assustador, mas mais assustador é negar essa realidade, entrar na viagem negando a estrada e o rumo que se segue, ser simplesmente inconsciente.

Paradoxalmente, este é apenas um estagio, pois no estagio seguinte esta solidão, pode se transformar num estado de relação com o universo de absoluta plenitude. Aí... É pura magia, a consciência e plena.

Mas... Paciência, por enquanto seu estado é de busca de grupo, vivência coletiva, partilhar, participar, e essa “Tristesse” aflora diante do mundo misterioso em que se descobre.

E preciso cautela. As sensações são para serem sentidas, é resultado do movimento que realizamos nesse universo misterioso. Não se deve se afiançar na sensação de tristeza ou do prazer ou da alegria. Apenas sinta-as mas guie-se pela consciência. 

 
Seria interessante refletir sobre a sua relação com a terra. Você, no passado, falou em sítio. Quem cuida? Voce produz?  Planta comercialmente ou apenas para uso pessoal? Ja pensou em ser fazendeira?
Reflita.
 

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

O TRIÂNGULO E UM VÉRTICE



Em terceiro eu havia ido no cinema com minha irmã, a pedido dela que não queria ir sozinha, e depois escutei minha mãe conversando com ela e tentando acertar as contas. Tomando atitude e tendo uma postura de esclarecer o equívoco, resolvi interferir na conversa e disse que ninguém me falara sobre um pós-pagamento, pois se soubesse disso não teria ido. Daí minha mãe piscou o olho e quando olhei para minha irmã ela também piscou o olho para mim. Sem entender o sinal de ambas, disse que da próxima vez não iria, nem mesmo sabendo que nada teria de pagar. Eu senti que ambas queriam ser boazinhas comigo, mas fora da minha presença o melhor era eu desconfiar.

Em geral, toda relação triangular acaba se mostrando desconfortável para um dos integrantes e muito confortável para os outros. Relações triangulares nos colocam num cenário em que os mais oportunistas se saem melhor do que os não oportunistas. Elas favorecem acordos multilaterais, relações de compromisso, cumplicidades entre pares. E realçam a competição entre os participantes. Num jogo que apenas favorece a neurose.

São relações que favorecem a tensão, elevando os níveis de polarizações. São relações instáveis pela própria natureza das relações; sejam elas profissionais, afetivas, sexuais.

Parece que você vive uma relação triangular desconfortável.

O sonho retrata sua postura defensiva frente à irmã e à mãe. Mesmo que elas queiram estabelecer uma relação de cumplicidade, sua atitude a conduz para a nóia, a desconfiança, ao medo, ao sentimento de excluída, fazendo aflorar e salientando a baixa estima, a inferioridade.

Esse me parece um dos nós no qual você ficou prisioneira. Suas expectativas, seus jogos de manipulação, seu excessivo poder competitivo, possivelmente a impediram de estabelecer relações naturais com essas duas importantes pessoas na sua vida.

E claro que nas relações todos são responsáveis pelo resultado que se chega. Elas são responsáveis tanto quanto você, mas as consequências mais graves parecem ter te atingido, já que elas “se entendem” e você é a estranha. Mas como em todo triangulo existe forças de inconsciente onde cada um exerce um papel para a sua manutenção.

O sonho realça a necessidade de focar mudanças na  relação com este triângulo. Você não tem poder para tomar decisões por elas, mas tem o poder de fazer escolhas pessoais. Mudar atitudes, comportamentos, respostas, expectativas e se libertar desse jogo relacional que dentro das circunstancias nada tem para lhe oferecer. Pode ser que conquistando sua libertação elas descubram que você é peça fundamental no equilíbrio das três, mas para isso e necessário encontrar o seu caminho pessoal.

Ir ao cinema a pedido da irmã indica desejo de ser importante para ela ou de subjuga-la à sua força. Mas o poder econômico está nas mãos dela e de sua mãe. A dependência não é apenas afetiva, mesmo esta pode estar condicionada à submissão financeira. O que nada tem de estranho já que sua relação com dinheiro parece envolver complicação. Sua condição é de fragilidade e não de independência.

Veja como pode ser complexo. Se o dependente não possui autonomia nem para ir a uma seção de cinema, é porque seu aprisionamento precisa ser trabalhado.

A escravidão foi abolida, e isto significou deixar os escravos ao seu próprio cuidado, essa a responsabilidade que se paga pela liberdade. Seus projetos futuros privilegiam essa conquista? Ou você acredita que um bom casamento a libertará desta condição familiar? Se tiveres esta esperança jogue-a fora ou só conquistará mais submissão, a não ser que consiga subjugar um homem pela força de sua presença ou pelo vício no sexo. Existem melhores caminhos.

Ah!

Não ganhamos autoestima com conceitos,

com fé, idealização ou gritando:

EU ME AMO! 

Primeiro prérequisito é a aceitação

seguida do Sustento Pessoal.

Ser  capaz de se cuidar, sobrevivier, não depender, e...

Lembra-se do mosaico?

É o nosso desígnio... Passar pela vida juntando nossos pedaços ou evitando que nos despedassem!

A autoestima é a Cola!


quinta-feira, 28 de outubro de 2010

NOVOS CENÁRIOS EXIGEM NOVAS RESPOSTAS


Num segundo sonho eu estava numa casa que dentro do sonho fora deixado por meu pai e minha mãe houvera mandado reformá-la. Ela ficara muito grande, todos os cômodos com moveis novos, ar condicionado e aparelhos de ultima tecnologia. Entretanto, senti-me péssima dentro daquele “luxo” e ainda conhecendo os novos cômodos da casa, saí da vista familiar e comecei a chorar desesperada. Um mal-estar sentimental muito grande e inexplicável tomou conta de mim. Eu não queria ter que morar ali. Aquela sofisticação me deixava figurativamente sem ar, me incomodava demais. Nisso encontrei um cômodo todo enfeitado que era um quarto de animal. Dentro dele havia uma barraca com vários brinquedos e apetrechos. O quarto saía para uma espécie de varanda e lá havia um cachorro e um gato filhotes. Passando por dentro da barraca – ela funcionou como uma passagem, um labirinto, um portal – fui ao encontro dos animais. Nisso alguém trouxe um pouco de comida própria para gato e começou a colocar na boca do gatinho. Disse a essa pessoa que não precisava colocar na boca dele daquele jeito, pois ele instintivamente já sabia comer sozinho. Naquele local que antes não fazia parte de casa, senti a presença paterna e isso aliviou o sentimento desagradável que outrora senti.



ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE A SUSCETIBILIDADE EMOCIONAL

Ocorre um fenômeno interessante, vejamos se consigo lhe transmitir minha percepção:

Em geral a catarse reequilibra as tensões e polarizações do corpo e da psique. Mas em situações específicas, o inconsciente eleva o nível da sensibilidade pessoal e aflora a Suscetibilidade, as defesas morais e couraças são rompidas. A elevação da sensibilidade provoca uma descarga energética que se sobressai devido a suscetibilidade, ou seja, através da sensibilidade o individuo sofre o impacto do estímulo, o impacto aciona a reatividade, o individuo é dominado por uma inflação emocional, um carga de sensações e encantamentos e o fenômeno favorece uma reconfiguração psíquica e de defesas repolarizadas. Ele sai fortalecido em sua capacidade de resistência, o que aumenta o limiar de resistência aos impactos de realidades.

Este universo sensorial contem seus riscos.

Por exemplo: O choro como manifestação catártica que protege o individuo do impacto devastador de cenários descompensadores, em princípio é resposta a acontecimentos que promovem instabilidade no sistema pessoal e que poderiam ser devastadores. Acontecimentos como perdas afetivas, separações, ameaças à estabilidade, agressões, violência que promovem respostas emocionais reativas de choro podem levar o sujeito da dor ao prazer. Ou seja, a dor que promove o choro, pode ser em superada e o individuo passa a sentir prazer na resposta catártica produzida para protegê-lo.

Quando isto acontece, a armadilha se instala, o prazer pode se tornar a chave que mantém acionada a fragilidade emocional, paralisando o processo de desenvolvimento e maturação do indivíduo. O sujeito passa a se predispor como frágil e suscetível impedindo a consolidação da maturação de seu sistema psíquico.

O SONHO

O sonho, com algumas variáveis extras, parece-me catártico e reequilibra o elevado nível de tensão e a hipersensibilidade que às vezes você projeta.

Um lado

Há um desconforto implícito. Como se fora do eixo você estivesse. Você esta na casa que seu pai lhe deixou e se sente desconfortável frente às transformações realizadas por sua mãe.

Essa casa pode ser sua herança, seu lado de origem paterna. Lado transformado pela força da intervenção materna, pela predominância da mãe.

E o desconforto aflora quando não há espaço para que características de um lado se manifestem ou encontrem possibilidades de aflorar. Sinal de conflito.

Isto não é estranho, já que o trabalho do individuo é administrar essas duas heranças transformando-as num resultado único e original, pleno.

É interessante notar que no sonho anterior o tema já havia aparecia.

O desconforto a leva a buscar uma saída. Você atravessa o portal. Percebe que precisa de autonomia, que o movimento é de busca de autonomia. Apresenta a necessidade de limites ao indicar a importância de deixar o animal se alimentar por si mesmo. Recusa o tratamento regredido, de subestima, submissão, dependência.

Sente a presença paterna e o alívio da tensão. Você encontra a solução do enigma entrando no caminho da autonomia, encontra a leveza necessária para viver abrindo espaço para que seu lado originado de pai possa se manifestar.

Outro lado

O sonho é apenas catártico, anuncia o nível elevado de tensão, evidencia sua suscetibilidade, coloca-a em situação de desconforto que a obriga a procurar uma solução para o problema e atualiza seu sistema quando atravessa o portal e passa a agir de forma autônoma, mostrando sua visão ao outro, se manifestando.

De qualquer forma sinto que a casa nova é uma indicação de vida nova, de transformações se operando.

Na casa nova não há sentido em agir como na velha casa. É o que digo às pessoas:


NOVOS CENÁRIOS EXIGEM  RESPOSTAS NOVAS
 
Quando apresentamos as velhas respostas em novas realidades, elas sempre se mostram inadequadas.
Reflita.


ADENDO: Quando digo novas respostas não descarto a experiência conquistada na lida da vida. Essa experiência pessoal, ao contrário, é instrumental importantissimo para que possamos criar novas respostas nesses novos cenários. Quero dizer que  em cada novo cenário que entramos, precisamos avaliar a realidade, detectar o "momentun", estudar entraves e bloqueios que porventura possam nos impedir ações e avanços, definir o que a realidade nos exige, e desenvolver respostas específicas para esse novo momento. Assim deixamos de ser simplistas usando velhos instrumentos dentro de novos realidades.




 

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

EU CORUJA, EU GATO




Sonhei que treinava uma coruja branca e mansa a fazer uns malabarismos de voo. Ela pousava no meu punho e eu ficava admirada de ver a inteligência do animal. Entretanto, num determinado exercício ela se machucou e daí ficou arisca, foi para perto da parede e ficou lá parada. Eu fui atrás dela verificar o machucado, mas ela fugiu de mim como se estivesse com medo ou raiva. No que ela afastou-se de mim, foi se transformando num gato, o qual só deixou eu chegar perto ao levar-lhe comida. Uma vez esfomeado não se importou com minha proximidade.

Parece-me a historia de um individuo que nasce, adquire consciência, sabedoria (Fiat lux), a dádiva da natureza e, serelepe, vive ludicamente, voando, experimentando com inteligência. E aí... Se machuca! Riscos da vida. Fica defensiva, cheia de medos e agressiva. Metamorfoseia-se num felino, possivelmente oportunista como um gato, carente, faminto de carinho e de alimentos. Sem autonomia para correr atrás de seu sustento pessoal, sem sua natureza original se submete ao domínio do mais forte e..aceita seu destino.

Esta estória lembra-lhe alguém?

Bem! A coruja é símbolo tradicional de sabedoria e inteligência, mas precisamos mais do que a inteligência mensurável. Precisamos de inteligência emocional, que nos assessore em nossa relação com o mundo. Assim temos mais chances ao lidar com as dificuldades, os problemas, os desafios que a vida nos inflige.

Não basta apenas a inteligência da coruja!

Precisamos ser afetivamente mais inteligentes, menos dependentes, mais ousados.

Não há como escapar dos desígnios da vida! Precisamos de projetos que nos dê suporte e que nos sirva de instrumentos para que possamos realizar nossos destinos.

Lembrando o filosofo dinamarquês Soren Kierkegaard: “Arriscar causa ansiedade, mas deixar de arriscar é começar a morrer”.

O fracasso não deve impedir novas tentativas de busca de sucesso, não deve definir o futuro do individuo. Nós temos a opção de nos entregar, entregar os pontos, mas a vida continuará do mesmo jeito. A opção mais inteligente e levantar e seguir e tentar e arriscar. E se machucar novamente, levante-se mais uma vez, quantas forem necessárias.

A VIDA AGRACIA OS GUERREIROS

E PUNE OS QUE SE ENTREGAM.

Entre outros significados a coruja ainda simboliza a divindade da morte e é considerada a guardiã dos cemitérios.

O cemitério reaparece, a morte se anuncia. São indicios de que algo morre e algo renasce, dentro ou fora de você.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

CEMITÉRIO, DESERTO E CALANGOS



Depois sonhei com uma menina que caminhava e todas as vezes que passava perto de um boeiro caia sobre ele. Verifiquei que a mãe dela entrou numa espécie de esgoto e fui investigar o que estava acontecendo. Não lembro direito o porquê daquela situação incomum, apenas recordo de jogar ervas curtidas sobre um cachorro e com isso espantei o espírito maligno que estava com ele. Também recordo de estar num local parecido com um cemitério no meio de um deserto de areias firmes a ver um casal de enormes calangos de cor verde e amarela. Infelizmente não lembro com nitidez. Continuei tendo vários outros sonhos estranhos e interessantes, mas as lembranças são muito vagas.

Essa menina é representação de um lado seu. E a indicação é de que ela corre risco. Pode ser uma característica pessoal de infância que ainda carrega na vida adulta: Dispersão, falta de atenção, descuido, excesso de fantasia. Não deixa de ser uma representação do “louco” no Taro, caminha olhando para o céu, como aquele que não se foca onde pisa e cai em armadilha, ou nos buracos da vida.

A mãe é representação de proteção mas também de distanciamento.

O esgoto pode dizer respeito a uma natureza animal que carregamos que não pode ser negada. Somos seres simbólicos constituídos dentro de uma materialidade finita, definida, limitada.

Esgoto é derivação de Esgotar, findar. Características dos momentos em que abrimos mão de coisas para receber outras. É o processo natural das transformações.

O princípio de realidade é incorporado quando a criança descobre que os excrementos que produz precisam ser eliminados. No princípio elas (as crianças) se tornam retensivas, possessivas com estes produtos corporais, mas só avançam na maturação quando aprendem a administrar adequadamente a dinâmica corporal na retenção e na eliminação dos dejetos, renunciando ao “tesouro” que produziram.

Aqueles que não se libertam, ou que não aprendem este princípio básico acabam se transformando em pessoas retensivas, possessivas, miseráveis, materiais e afetivos. Tendem a se transformar num buraco negro, que tudo sugam. Um vazio que nunca é preenchido.

Neste aspecto, para conquistarmos a maturidade precisamos abrir mão das respostas infantes, abrir mão das proteções que nos circundam, do conforto de ser "filho" para conquistar a autonomia. Renunciar para poder ganhar.

O cachorro foi afastado, penso no sonho anterior, na força mobilizada para domar o Touro, e agora com o simples domínio dos ramos afasta o mal. Mas... o cachorro é psicopompo, guia dos vivos no caminho dos mortos. E da morte a gente se afasta mas...  não se livra.

Seus ramos lembraram-me o Domingo de Ramos. É com ramos que o povo proclama, como diz São Paulo: ‘“Jesus Cristo é o Senhor”, para a glória de Deus Pai’. Significa crer no mistério da fé, crer na vida que vence a morte. É vencer o mal, é também ressuscitar com Cristo e, com Ele Vivo e Vitorioso viver eternamente.

Se a leitura estiver próxima da mensagem do inconsciente, significa que a dinâmica toma rumo em direção às provações e às tentações que se aproximam.

Corporalmente, avalie suas funções digestivas. Se houver algum distúrbio digestivo, reavalie hábitos alimentares e principalmente o hábito de beber água.






 
ADENDO : É necessário reforçar  a última observação.
O Deserto surge após a referência ao bueiro e ao esgoto,
isto pode ser uma indicação de ressecamento intestinal.
Em decorrencia de alimentação, medicação ou pouca hidratação,
neste caso aumente o consumo de água.
 
 
 
 

segunda-feira, 25 de outubro de 2010

TOURO DOMADO



Sonhei que alguém profetizava sobre meu futuro e disse que eu seria atacada por um touro. Logo depois estava passando por um local rural quando um touro de fato pulou o cercado, um salto malabarístico, e veio com tudo em minha direção. Eu segurei nos dois chifres do animal e olho a olho fiquei a segurá-lo com uma força desumana, fora do comum. Lembrei-me da carta força do tarô. Eu não sabia como conseguia fazer aquilo, mas para mim foi algo fácil dominar o touro bravio.


ALGUMAS CONSIDERAÇÕES SOBRE
A INTER-RELAÇÃO CONSCIENTE/INCONSCIENTE

Já chamei atenção para a necessidade da aquisição de uma prontidão onírica que é de grande importância, e que nos permite responder, reagir a ameaças, e proteger a integridade e a saúde psíquica por esforço próprio.

Não é pouca coisa!

Dois detalhes dessa transformação:

1. No passado você estava mais suscetível à ingerência de pulsões de inconsciente, consequentemente essa suscetibilidade tendia a lhe colocar numa condição mais crônica de instabilidade emocional. Lembra-se? Como uma tábua você ficava ao sabor das ondas e das correntes do oceano primordial.

2. Sem a prontidão de resposta, deixamos de poder de intervir no processo de transformação exigido pelo inconsciente.

A dinâmica é a seguinte:

Enquanto não fortalecemos os princípios básicos de constituição da Individualidade, o inconsciente tem poder total de interferir no comportamento, nos conduzindo a seu bel prazer.

Mas chega um momento em que a falta de referências básicas por conta de uma individualidade inconsistente, começa a colocar em risco sua integridade. Como consequência ele (ou arquétipos específicos) se manifestam impondo a necessidade de mudanças que permitam consolidar a estrutura psiquica.

É como se no início de nossas vidas, frente à imaturidade psíquica fossemos conduzidos integralmente para que nos consolidemos como uma estrutura bem formada e para que mais à frente possamos conduzir a partir de parâmetros de consciência, lógica e realidade, nossas vidas.

Isso eu chamo de Inter-relação Dirigida entre consciência e inconsciente.

Quando a maturação da personalidade não ocorre, as ingerências do inconsciente aumentam para que o indivíduo colocado em Xeque possa acelerar seu processo de transformação, de forma a poder atuar na ordenação psíquica com mais precisão.

Naturalmente, como são múltiplas as fases e estágios que vivemos, o inconsciente continuará interferindo e realizando suas correções de rumo em nossas vidas, ao mesmo tempo em que acrescentamos à sua tarefa de centro de comando, os princípios de realidade constituídos pela consciência, princípios de ordenação, coordenação, lógica, localização, espacialidade, informação, linguagem, etc.

Se não desenvolvemos essa prontidão como um barco sem rumo vagaremos pela vida. Ao contrário, com a prontidão, começamos a gerar IMPUTS que auxiliam na ordenação dos conteúdos de inconsciente, recebendo em troca os benefícios dessa ordenação com a harmônia e equilíbrio do nosso sistema pessoal.


 
O SONHO

No último ano você iniciou essa jornada de assumir-se como uma individualidade constituída, abandonando práticas e respostas que já não lhe favoreciam frente às exigência de sua realidade (estou considerando suas informações partilhadas) e desenvolvendo conceitos, resignificando-se diante de sua vida. E a prontidão de que lhe falo apareceu em seus sonhos.

Os sonhos ameaçadores diminuíram e você desenvolve uma capacidade de responder aos confrontos e exigências oníricas.

Não a como avançar se não somo capazes de enfrentar os nossos fantasmas internos, os desafios, nossos dragões.

Isso não é pouco! Neste sonho sua capacidade de resposta lhe leva, ao invés de fugir e correr, a enfrentar seu TOURO DRAGÃO. E o domina, olhando nos olhos, segurando-o.

BRAVOO!!!!

Como em quase todas as representações e simbologia, a do touro também pode, independente da preponderância ativa, ser dupla. Ele pode ser relacionado ao princípio ativo e masculino e também ao feminino, pela sua relação lunar e fecundante.

Ele, em termos gerais, evoca a força, o conteúdo indomável, selvagem e intempestivo. Símbolo da força criadora, já foi considerado divindade, e na tradição grega os touros indomados simbolizavam o desencadear sem limites das pulsões destrutivas. É lunar e portanto relacionado com a noite. Para Paul Diel, os touros com sua força bruta simbolizam a dominação perversa.

O confronto envolve competição, e sua força toírácica pode não ser vencedora mas se equivale à força do outro.

O touro pode representar uma energia poderosa que você aprende a domar, descobrir dentro de si ou tomar posse. E O Chifre é símbolo de poder, da força.

Na psicologia podem simbolizar a divergência, ambivalência e forças regressivas. Para Jung eles representam o principio ativo e masculino pela força da penetração e um Passivo Feminino por sua abertura em forma de lira e de receptáculo. Ao reunir esses dois princípios na constituição da personalidade o indivíduo atinge o estágio de maturação pleno. Realiza a integração dos opostos em si.

 
Acrescento um Post no Blog Aeternus Femininus, que expressa um pouco mais minha visão, que pode favorecer sua compreeensão:
 
 
 
 
 

domingo, 24 de outubro de 2010

IMPERMANÊNCIA DA VIDA



Essa noite sonhei que estava na esquina de casa quando ví um caminhão de mudança entrando na garagem da vizinha. Era um caminhão de uns trinta metros de comprimento e notei que ele estava entrando torto, de modo que deveria estar ocasionando uma destruição total na construção daqui de casa. De repente o caminhão começou a quicar como se fosse uma bola de borracha que inclusive ficava de rodas para cima e, ora normal e ora de cabeça para baixo, descendo e subindo, estava prestes a destruir totalmente minha moradia quando acordei assustada. É um sonho tão estranho, que significado pode ter?

Se bem me lembro, a primeira lei do Zen Budismo, com lucidez típica, é a lei da Impermanência da vida.

A Física nos fala em universo em expansão e no seu contraposto, o universo em Retração. Por enquanto o ritmo é determinado pela presença marcante da expansão, transformação, evolução.

Estamos inseridos, portanto, dentro de cenário em permanente, dinâmica de transformações e... Mudanças. Isto pode ser muito inquietante. Independe de nós. Somos como que levados à frente e se teimamos ao tentar paralisar o processo pessoal, somos como que puxados com mais força para a densidade dos buracos negros, nestes infinitos vórtices do universo. Que têm o poder de nos lançar ou nos puxar como corpos ao sabor de forças maiores.

Lutar contra essas forças parece-me tolice, melhor aprender a navegá-las, pode tornar a viagem mais agradável.

O sonho fala em transformações... Mudanças. Indica a dinâmica do cenário. O processo está instalado, A fase estabelece a metamorfose. Como registrei na imagem, elas são Danças que somos obrigados a dançar.

E o que vem daí?

Sua forma de responder ao mundo definirá como navegar em sintonia com as mudanças ou não interferir de forma desastrada.

Mudanças promovem ansiedades, angústias, inquietações, medos, apreensões, estados em geral desconfortáveis e incômodos ou desconfortáveis. Essas mudanças já vêm sendo anunciadas há um bom tempo, e nem sempre são rápidas. Como já lhe disse anteriormente cada um tem um tempo cíclico, e há ainda tempo do ciclo psíquico. No meu entendimento as pré-mudanças foram iniciadas. Há indícios de mudanças de comando arquetípico, passagem da fase de comando do “Puer Aeternus” para a direção do “Senex”. E essas são alterações delicadas, que nos exigem paciência e... Longas, já que podem durar 3, 5 ou até 7 anos, ou seja, um ciclo pessoal inteiro.

Nesses momentos nosso mundo confortável é arremessado, revirado, instabilizado, e podemos nos ver como dentro de um turbilhão sem que o queiramos.

Paciência. Você pode estar, sem que o queira, no Olho do Furacão. E ainda que possa parecer que sua casa será destruída, e mesmo que o seja, uma nova casa renascerá, uma nova vida se anunciará.

Quando digo que nosso arbítrio e relativo, quero dizer que existem momentos em nossas vidas que não podemos evitar, São momentos decisivos. Se nos preparamos para eles passamos ilesos, ainda que transformados. Se não tivermos nos preparados em momentos favoráveis, perderemos as chances de avançar na consubstanciação de nossa maturação. Aí... O sofrimento deixa de ser aproveitado como Repique para avançarmos em nossos desígnios. Se se preparou fique tranquila que a tempestade, se houver, passará, as ameaças desaparem e a bonança chega.

sábado, 23 de outubro de 2010

ESTRANHOS CAMINHOS ONÍRICOS




Depois disso tive um segundo sonho estranhíssimo. Eu estava dormindo na cama de casal da casa donde nasci e cresci na primeira infância. Entretanto eu não estava criança no sonho, mas sim na minha idade atual. Ao me despertar do sono senti que havia alguém deitado na cama comigo e que estava esperando eu acordar para me dar uma espécie de “bote”. Pensei que a casa houvesse ficado aberta e que algum estranho tivesse entrado. Pensando que fosse ser violentada, fingi estar dormindo enquanto tentava pensar calmamente o que fazer. A coberta estava sobre meu rosto de forma que eu não conseguia ver quem estava ali e, ademais, começava a me sentir sufocada.

Não encontrando opções simplesmente espreguicei dando a entender que estava despertando. A pessoa movimentou-se apressada ao meu redor e reagindo rápido segurei-a.

Para minha surpresa era minha mãe e não um homem tarado conforme imaginara. Entretanto, no sonho, eu considerei minha mãe como uma tarada e arrastei-a para a sala mandando minha irmã chamar a polícia. Minha mãe segurava algo perigoso nas mãos e, embora não lembre o que fosse, consegui retirar das mãos delas antes que ela se machucasse ou machucasse alguém. Eu segurava forte nos pulsos dela. Desesperada ela começou a chorar como se estivesse dentro de uma crise de loucura, como se fosse uma doente mental e não tivesse culpa. Senti pena e confusão, mas para o bem dela e de todos afirmei para minha irmã que podia chamar a polícia sim. Dentro do sonho eu parecia ter mais consciência do que estava acontecendo do que agora ao tentar descrevê-lo.

Só que no instante seguinte minha mãe se transformou num menino de mais ou menos um ano de idade. Segurei-o no colo e comentei que íamos cuidar dele e que já não seria preciso chamar a polícia, pois íamos educá-lo e, quando ele crescesse, esqueceria tudo aquilo. Entreguei-o a minha irmã e nisso ele começou a urinar. Daí ela largou-o e ele foi urinando à caminho do banheiro.

Quando acordei não lembrava do sonho, apenas tinha a sensação de que houvera tido um mega pesadelo. Só depois de algum tempo é que o sonho do nada me veio em mente. Realmente não consiguiria entender sozinha o significado de um sonho desse.

Seria interessante avaliar suas fantasias sobre ser vítima de violência sexual, já que disse nunca ter sido alvo de tal fato. Numa visão clássica esse medo poderia esconder um desejo de ser violentada. Mas como não tenho informações sobre sua vida sexual, a não ser que é um tema delicado, que envolve repressão moral e dificuldades de relacionamento. Fico como que limitado nesta leitura.

Naturalmente em caso de existência desse suposto desejo, podemos ir um pouco além e compreender como uma forma da psique contrapor a força da repressão com o oposto que rompe os padrões morais aceitáveis.

Neste caso o “Desejo” não seria o fruto de uma intenção pessoal mas o resultado de uma pulsão que incrementa uma polarização capaz de promover mudanças no seu comportamento, promovendo transformações que não exija que a energia seja deslocada para desvios morais que possam romper e superar a muralha da sua repressão, do seu controle.

Mas... Avancemos! Há mudanças na dinâmica de sonhos semelhantes acontecidos anteriormente. Você já não se perde nas fantasias dos medos, na “nóia” das ameaças, e consegue encenar uma resposta frente ao perigo e às ameaças. A resposta é mais adulta e mais adequada para a sua realidade. Tem a altura de sua condição. O que sinaliza fortalecimeto da segurança e da auto estima. Ainda que os medos persistam.

A indicação de você adulta dormindo na cama de criança pode ser a criança que ainda sobrevive em você. Não o aspecto lúdico da criança, mas a criança insegura e cheia de medos. Você continua carregando aquela criança na sua vida adulta.

Num segundo momento você descobre que seu oponente é sua mãe e que a batalha é com ela. Simbolicamente você distingue a ameaça e não a imagem ou a representação da mãe. Essa batalha diferencia a relação de simbiose, sua diferenciação de mãe. A mãe quando presença forte deixa de ser proteção e passa a representar ameaça à privacidade, à integridade. É quando o momento indica a necessidade de separação.

Novamente sua referência de limites define sua postura e suas atitudes no sonho. Independente da representação e do símbolo você não abre mão de controle da ameaça nem se deixa levar por sentimentos de culpa. A figura de autoridade sobressai.

Essa mãe vive dentro de você e só você pode transformá-la, discipliná-la, curá-la, amadurecê-la. Para que tenha a possibilidade de integrá-la ao seu universo psíquico. Integrando o melhor dela e se desfazendo do pior de sua origem.

A mãe regride à condição de criança. É como dissolver sua significação ou se defrontar com um lado pouco amadurecido dessa representação materna. Associo que essa relação se dá a partir da construção na sua infância. Você pode ainda viver na expectativa de ter uma mãe, ou uma irmã protetora, ou relacionar-se com essa mãe/irmã, que na sua expectativa proteja e sustente sua imaturidade (falta-lhe até o controle dos esfíncteres).

Poderia até pensar que sua grande dificuldade com sua irmã advenha da expectativa que tenha tido dela se comportar como sua mãe, e como ela não atendeu essa expectativa você acabou desenvolvendo e projetando uma relação transferêncial negativa com ela.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

MANDALAS - FIAT LUX




Primeiro sonhei que estava montando uma espécie de mosaico no chão com algumas lascas de mármore que estavam enterradas no chão. Entretanto, não estava encaixando direito e fui buscar uns cacos de vidro, mas estava muito perigoso mexer com aquilo e resei pedindo a Deus que me ajudasse a cumprir minha tarefa sem me machucar muito. Tentava carregar os cacos de vários tamanhos e cores com o maior cuidado. Eu não fazia o serviço sozinha e, embora não lembre quem ou quantas pessoas estavam comigo, creio que meu pai estava junto tantando encontrar algum caco que servisse também.

A imagem é singular: A construção do equilíbrio psíquico.

Mandala e uma palavra originada do sânscrito e que significa Circulo Mágico. Uma figura geométrica circular com variações de circulo circunscrito num quadrado ou de um quadrado circunscrito num círculo, com irradiações originadas do centro produzindo imagens simétricas e ordenadas.

Jung as considerava como imagens arquetípicas que expressam a Psique, e particularmente o SELF. Jung detectou o aparecimento dessas imagens em sonhos ou em trabalhos terapêuticos projetivos durante a análise Junguiana.

Elas podem expressar um potencial para a Totalidade ou como representação da totalidade cósmica, ou como proteção para pessoas que estão em condição fragmentadas.

Basicamente a coisa funciona assim, se o individuo encontra em condição psicopatológica ou de dissociação, as mandalas são projetadas numa tentativa de ordenação do caos mental.

Diferentemente da condição psicopatológica elas podem surgir em sonhos como indicativa de ordenação, de reconfiguração da condição mental em estágios de metamorfose e de transição anunciando mudanças. Ou seja: Se a condição e de perigo elas surgem para reequilibrar a ordenação e configuração mental; Se a condição é de metamorfose, elas surgem anunciando o processo de reconstrução que é resultado do esforço pessoal empreendido.

Em leitura anterior apontei a relatividade do arbítrio humano que sofre ingerência assertiva de força e pulsões originadas do inconsciente e na possibilidade humana de interferir decisivamente na transformação do inconsciente pessoal.

Quando partimos para assumir as rédeas de nossas vidas, definindo conceitos, atitudes, princípios, como um norte em nossa jornada, interferimos na construção dessa configuração de inconsciente. E quando abandonamos essas referências, desconsiderando o espírito do universo, também interferimos promovendo a desconstrução de configurações básicas que nos orientam, gerando a dissociação de nossa constituição.

A imagem da mandala pode aparecer de forma referencial de múltiplas formas, como praças públicas, objetos, imagens aéreas – vista ao longe, ou de forma explicita como em pinturas ou mosaicos que se constrói.

No seu sonho e perceptível a força do coletivo envolvido nessa construção ou reconstrução, as pessoas - conteúdos- que auxiliam, seu pai, e o clamor divino.

A presença do seu Pai reforça conceitos já expressos, em leituras anteriores, da importância de seu movimento na transformação da história de sua vida pessoal e familiar.

Em principio essa imagem aflorada indica, como no sonho anterior, duas possibilidades:

1. Metamorfoses. Mudanças, Transformações que se prenunciam resultante do seu esforço pessoal de aprimoramento;

2. Tentativa de proteção de seu equilíbrio mental frente a ameaças existentes que promovem sua desconstrução.

Pessoalmente, tendo a considerar, em decorrência do movimento e da dinâmica pessoal, que o sonho anuncia o processo, em fase de construção, do projeto pessoal. De forma gráfica é assim que nos protegemos, enquanto vivemos construímos o mosaico de nossas vidas.

Aproveite para pintar, desenhar, e registrar o seu sonhos, essa imagem de mandala pessoal, um símbolo de proteção e de equilíbrio. Trabalhe nela, com paciência, com delicadeza e terás uma imagem mágica, de poder. Não a exiba, mantenha o significado da imagem para você.


OBS.: A imagem interna da mandala, para representar o centro de luz, o Self, foi utilizada uma imagem do sol fotografado por sonda solar da Nasa Sol_620 divulgada esta semana na rede. O meu objetivo é indicar que uma mandala é mais do que uma representação ou uma imagem, é o espelho da força do universo em nós, de sua origem e constituição. A mandala é uma configuração que define um formato com o qual a força do universo atua e interage com suas células, nós.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

ALMA ENFERMA, ESPÍRITO QUE PADECE





Sonhei que estava fazendo uma regressão e encontrei-me num local abandonado. Caminhei pelos cômodos vazios e indo até o portão deparei-me com o nome do local: CEEW – Centro Espiritualista Esperança de... O ultimo dizer estava apagado e não consegui ler. Senti que eu já houvera estado internada naquele local, o qual era uma espécie de manicômio religioso. Continuei sonhando, mas só recordo disso.

A atitude regredida detectada no sonho anterior aparece como foco neste sonho. Bom indício de que caminhamos em sintonia para decifrar a mensagem. O abandono do local também reaparece de forma explicita. Mas agora parece-me um sonho indicativo de grande significado.

Quando você chegou a este Blog pareceu-me que buscava socorro. Confusa, angustiada, agressiva, abandonada, se sentindo marginalizada, internamente atormentada por pesadelos, etc. E apesar do pouco tempo, que muitas vezes pode parecer uma eternidade, há indícios de que os piores momentos foram deixados para trás. Você se mostrou humilde para empreender essa viagem interior através dos sonhos, rever a sua forma de pensar e de agir no mundo, repensar suas relações, atitudes e partir em busca de reconstituir sua jornada.

Neste sentido, o sonho parece-me falar de uma doença do espírito que foi abandonada e deixada no passado. O hospital

Pensei que o W, do C E E W, poderia ser o W de Word,  de Wide, de Web, ou se incorporaria os três: www. Neste caso simbolicamente o Blog “A Linguagem dos Sonhos” pode ter representado um espaço de acolhimento e de tratamento que a ajudou a recuperar a sua saúde espiritual, a sua alma. Estas associações são apenas indagações, que devem ser consideradas como possibilidades.

As regressões são momentos que em dificuldades se mostram naturais, lembre-se da Arte da Guerra:

O melhor General é aquele que não coloca seu exército em risco desnecessário. Se o avanço indica riscos de aniquilamento, o recuo oferece a segurança para o fortalecimento.

A regressão pode indicar descompasso como pode indicar recuo estratégico.

Se o cenário é de dificuldades, não se permita chegar aos seu limites e se colocar em risco, melhor recuar para avançar com segurança mais à frente. È estratégico o recuo.

O sonho pode fazer referência ao passado ou ao futuro. Se ao passado indica que o perigo passou. Se ao futuro, indica que o perigo se prenuncia.

Em certos momentos... Melhor a cautela que não coloca em risco os ganhos realizados. Ou o esforço aplicado. Quem aprende com o passado não se repete no futuro.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

ALTA TENSÃO


No dia dois desse mês venci meu contrato de experiência no trabalho e essa noite sonhei que para continuar nele precisava passar num teste. Eu estava certa de que passaria, pois a mulher que me aplicaria-o disse se tratar de uma avaliação da minha índole moral. Ela ia encenar uma situação qualquer e queria analisar minha reação natural, dizendo que era para eu reagir como se aquilo estivesse de fato ocorrendo na minha vida. Assim ela fingiu ser uma criança fazendo bagunça e entre revoltada e irritada começou a arrastar uma mesa. Levei-a para um canto, coloquei-a de castigo e disse energicamente que não ia lhe dar aquela boneca que ela tanto estava querendo ganhar de presente no dia das crianças, explicando-lhe o porquê.

Daí um monte de portas se abriram e adentrou no local uma multidão de pessoas, a maioria eram homens. Agarrei-me a um deles que dentro do sonho parecia ser um namorado. Ele ia passando sério e nem ia me notar se não fosse essa outra reação natural e inesperada de o agarrar. Nisso o ambiente outra vez se transformou e notei estarmos dentro de um grande elevador. Não sei se ele subia ou descia, mas permaneci abraçada ao homem enquanto ele segurava-se com as duas mãos no apoio do teto do elevador. Nos beijamos e ainda acariciava as costas dele quando acordei sem entender absolutamente nada do sentido desse confuso sonho de três momentos em um.

O que tal sonho pode representar?

Inflexibilidade, punição, busca de uma salvação, apoio e deslocamento através de outrem?

Seria, no mínimo, interessante saber de você quando criança. Como era, tranquila inquieta, retraída hiperativa, disciplinada desorganizada, sem limites. Como adulto é perceptível que não suporta crianças sem limites e se apresenta como autoridade assumida.

A proposta é clara, ser testada, confrontada. Sua resposta é de controle e domínio da criança rebelde.

Qual seria o foco do sonho?

A criança rebelde dentro de você?

A autoridade repressora e castradora?

A tensão ou a angústia produzida pelo medo de ser rejeitada e excluída?

Não sei o significado ou importância do emprego, do seu trabalho, na sua vida. Como se relaciona com essa realidade, sua necessidade, ou como lida com o seu “fazer”. Se é sobrevivência, se o trabalho oferece-lhe oportunidades de crescimento, prosperidade.

O sonho indica uma realidade comum de conquista a partir do esforço pessoal, o presente recebido ou a exclusão como punição. E... o elevado nível de tensão provocado pela situação.
Naquele momento já havia a decisão de seu contrato? Se sim, o sonho se explica como o desmonte do nível de tensão.

O sonho:

A primeira parte realça dois aspectos: há o confronto, você é chamada a responder e responde dentro de sua necessidade de controle, domínio e organização. A resposta é assertiva, resultado de conceitos claros e limites definidos.

A severidade consigo mesma fica em realce, e mostra a insegurança e o nível elevado de tensão e angústia porque passou. Você se sentiu como uma criança e pune aquela que te submete ao teste. Sua revolta é projetada punindo aquele que te submete à condição de inferioridade e de submissão.

Falta-lhe humildade?
O patrão é opressor?
A condição como subalterna a incomoda? Seria sua vontade chutar o balde?

A segunda parte, o nível de tensão se eleva e o socorro vem no seu "se agarrar" às barras da calça da figura masculina.

Help!!

O cenário de ameaça a leva a se agarrar e a se entregar à submissão. O seu movimento é de fuga, de inferioridade, sendo levada, conduzida.

Fico refletindo sobre as portas, e a entrada de pessoas. Se ela representam a possibilidade de sua passagem ou de mudanças, neste caso elas servem para uma invasão coletiva, como uma onda que entra em sua vida e ocupa de forma tão marcante o espaço que a sua atitude parece-me regredida e submissa. Resta a questão: coletivamente o que invade e ocupa seu espaço, seu território de forma tão decisiva?

Como podes ver, eu tenho mais perguntas do que respostas. Mas nem sempre os sonhos são claros. Isto significa esperemos que os seguintes possam completar a ideia do sentido e do significado deste.

Ah! A parte final das carícias e dos toques, reequilibram seus níveis de tensão. Te trazem para a dimensão corporal, para o universo das sensações reintegrando seu sentido compensando a tensão elevada. O afeto compensa  o cenário "Sem Rumo" promovido por uma realidade que lhe exige, promovendo instabilidade emocional, e que a insere na rota de fuga. Este afeto compensa e lhe favorece o reequilíbrio.

by



segunda-feira, 18 de outubro de 2010

SELETIVIDADE

imagem do livro:      Tantra O caminho da Aceitação
OSHO - Ed. Cultrix -

FEED BACK


Já notei que existe uma complicação comigo: geralmente os homens que se interessam por mim são agitados, másculos e aparentemente nada neles me atraem além da beleza física ou posição financeira-profissional. Ao contrário disso, me interesso por homens mais afetivos, calmos, sensíveis e delicados, os quais, por sua vez, parecem não se interessarem o suficiente por mim.

O que explica essa atração trocada e não correspondida?

Existe alguma relação com a anima e o animus?
Somos em nossas atividades, no cenário que estamos inseridos, direcionados por uma seletividade perceptiva que acaba focando a nossa atenção em situações, acontecimentos e pessoas que são capazes de mobilizar, ou que mobilizam nossos interesses. Nossas escolhas, atitudes, ações ou movimentos  nascem nesses momentos e são resultados de duas dinâmicas básicas:

1. Um filtro de SELEÇÃO DE INCONSCIENTE;

2. Um filtro de SELETIVIDADE DA CONSCIÊNCIA.

A Seletividade de Inconsciente maneja e conduz os instrumentos perceptivos -visão, audição, sensações tateis e proprioceptivas, olfato - para focar objetos e áreas de interesse que funcionem para atender propósitos predeterminados, que levem a encontros que possam favorecer a construção de confrontos que permitam ao individuo superar desígnios, enigmas, ou pré requistos na definição de realização de seus propósitos ou a fracassos e repetições no infinito oceano do Sansara.

Quando superamos os desafios nos libertamos da repetição e novos desafios se apresentam. Quando não os superarmos os repetimos. Somos, portanto, guiados por uma pré-determinação que é a configuração básica do nosso destino. Essa pré-configuração determina a seleção que guia o interesse associando conteúdos de gênese com características individuais que nos constituem.

A Seletividade de Consciência funciona como um Mediador entre a pré-configuração de desígnios e confrontos existentes no inconsciente, as características individuais que constituem nossa personalidade e o meio no qual estamos inseridos. O mediador atua entre o inconsciente e a consciência porque recebe imputs de inconsciente que definem seus movimentos, intenções e pré-intenções.

Essa seletividade varia de acordo com princípios estéticos, morais, religiosos, políticos, de interesse pessoal, filosóficos, etc., e da natureza do individuo. Um indivíduo esteticamente severo escolherá seu parceiro pela força da imagem do outro; se vaidoso poderá escolher pelo resultado que provocará no coletivo; se intelectual, pela capacidade de ser compreendida ou de compreender, etc.

Para compreender:

Para você, na sua dinâmica, os exemplares masculinos Belos se sentem atraídos por você, e você se sente atraída pelos AfetivosSensíveis que não se interessam por você.

Naturalmente existem pessoas belas, afetivas e sensíveis mesmo que corram mais riscos de serem vaidosos, orgulhos, narcisistas, prepotentes e arrogantes. A beleza é uma armadilha que escondem muitos perigosos, armadilha que muitos caem.

A questão: Porque os belos são atraídos? Porque você é uma mulher que os atrai, deve fazer parte da Tribo das Belas.

Por que não atrai os sensíveis e afetivos? Possivelmente por que seu modelito de Bela usado para atrair os Belos é inadequado para atrair Sensíveis, Afetivos, Calmos e Delicados.

Você precisa descobrir o modelo, se é que existe, que atrai os S,A,C,D. Possivelmente, com o modelito que usa para atrair os Belos, os Afetivos-Sensiveis, devam correr apavorados, como os cristãos fogem do diabo e o diabo foge da cruz. O que não é de se estranhar. Em geral Belos vaidosos narcísicos são caprichosos e cheios de vontades. Se superestimam, querem o mundo girando ao redor de seus umbigos, como Deuses no Olimpo. E geralmente o sensíveis tendem a sucumbir à força assertiva dos vaidosos, portanto escolhas mais inteligentes levem ao distanciamente.

Valha-me Deus!

De qualquer forma escolhas feitas a partir da identidade comum favorecem os parceiros. Quanto menores as identidade maiores as dificuldades de sintonia na relação.

Existe alguma relação com a anima e o animus?

No seu caso a relação com o animus. Que em sua representação, simbolismo e imagem, é revestido de acordo com a sua natureza arquetípica e pode ser acrescido de revestimentos produzidos, por novos imputs de idealização ou de mudanças incorporadas. Assim como a idealização pode ser constituída pela ingerência do inconsciente.. É uma via de mão dupla.

Nós interferimos na maturação do inconsciente como ele procura interferir na nossa formação e condução.

Assim seu padrão de escolha pode ser definido pelos seus projetos idealizados, tanto quanto essa idealização pode sofrer alterações por influencia de inconsciente.

Um indivíduo estético define suas escolhas pelo padrão de beleza que ele idealizou e construiu. Assim como um individuo sensível e carente escolhera pela capacidade do outro de oferecer afeto, Um individuo focado no alimentado escolhera pela capacidade do outro em satisfazer sua oralidade, um alcoólatra escolherá um parceiro que o permita alcoolizarse ou castrar sua compulsão, impondo-lhe os limites que não consegue se impor.

De qualquer forma esse animus será projetado naquele que espelhar sua configuração.

A projeção é como uma GOSMA, ou MIASMA, que projetada no outro, na realidade, define a vinculação de destinos.

Quando o individuo atinge a sua maturação ele deixa de projetar esses miasmas e de promover esses desarranjos pessoais e coletivos.

No seu caso pode haver ambiguidade que lhe dificulta sua escolha. O patrão estético define sua escolha e o afeto define sua necessidade. A estética alimenta o narcisismo e a idealização o afeto alimenta o espírito. A beleza promove instabilidade, o afeto favorece a harmonia. Qual caminho seguir? Agraciar o prazer de conviver com o Belo ou saciar a fome do afeto?

Porque a beleza promove instabilidade?

Porque o universo é impermanente e beleza nenhuma se sustenta.

domingo, 17 de outubro de 2010

RESIGNIFICAÇÃO

Detalhe  de  fonte em Paris

Sonhei com minha irmã. Minha mãe havia acabado de falar com ela pela internet e ela houvera dito que viria no dia seguinte, entretanto, repentinamente ela chegou fazendo-nos uma surpresa. Fiquei trêmula. Foi uma reação física inexplicável. Eu não sentia frio, mas batia o queixo estranhamente. Ela me abraçou e ficamos algum tempo abraçadas. Eu queria sentir bem-estar naquele abraço, mas não conseguia. Senti o momento como se estivéssemos indiretamente ou inconscientemente fazendo as pazes, mas sentimentalmente eu continuava não sentindo prazer com a proximidade dela. Depois do abraço tive de dar atenção para minha sobrinha e logo senti meu sossego indo embora enquanto ela remexia nas minhas coisas, algo que me irrita.

Senti do sonho que gostar de alguém não depende puramente da vontade pessoal. Mesmo que haja respeito, proximidade e intimidade, se não houver o prazer da afinidade, pouco adianta querer sentir-se bem na presença do outro.

Reaparece, no sonho, o movimento interno de reconciliação, em duas vertentes:

1. Há indicação de aproximação entre conteúdos de inconsciente, ligados à representação simbólica de sua irmã e a carga negativa, repulsiva e contrária que possui e você como polo anti empático que origina e se contrapõe a esse conteúdo negativo;

2. O inconsciente realiza a compensação de uma tendência interna do desejo de aproximação evidenciando aspectos protetores de sua irmã e as reações que ela desencadeia, acionando suas defesas.

Sendo que essa defesa como reação é neurovegetativa, está ligada a estrutura de funcionamento do corpo, independe da intervenção de sua vontade, portanto aflora sobre controle do inconsciente de forma espasmódica, reativa, reflexa. Ela é defensiva na dimensão instintiva e somática. E o fenômeno pode indicar tendência de alteração de configuração que existe e que pode determinar mudanças na capacidade de resposta instintiva e condicionada.

Eu, pessoalmente, acredito num processo de alteração do Padrão de resposta em nível profundo de energias imobilizadas e condicionadas para reagirem a partir da presença de objeto codificado como negativo, ameaçador e perigoso.

Estas energias “recalcadas”, condicionadas, podem ficar imobilizadas em regiões mais interna do corpo, localizados entre a musculatura e o esqueleto, (há profissionais que acreditam que ela ficam localizadas em alguma estrutura cerebral).

Chamo de energias densas, pois pouco se movimentam, reativas porque só são acionados a partir do estimulo negativo provocado pela presença do objeto que recebeu a codificação de ameaça.

A empatia ou a antipatia são faces de uma mesma moeda. A Negação é reativa frente à dificuldade de se entrar em acordo tônico com o objeto. À medida que você não superou suas dificuldades e não obteve sucesso de estabelecer vínculos afetivos positivos e de proximidade com sua irmã, foram estabelecidos níveis de competitividade elevada e transferência negativa. Como não estabeleceram um acordo tônico e afetivo, acabaram construindo uma relação agressiva, de competição que espelha a dificuldade entre vocês, ou de você para ela.

O sonho aflora o conflito, o desarranjo, e através do confronto e da compensação objetiva a reconstrução desta configuração defensiva estabelecida por você.

Há sinais de mudança de dinâmica e de configuração psíquica. Neste aspecto o desarranjo vegetativo pode surgir como uma descarga, catarse ou simplesmente mobilização dessa energia focada na sua defesa para ser reincorporada no seu sistema.

A mudança independe de você, ainda que tenha sido a origem e desencadeado o sinal a partir de mudanças de posturas atitudes indicativo da necessidade de desmobilização da construção do passado. Isso pode ser indicativo de que você abandona, desmonta, desmobiliza os padrões de respostas usados desde sua infância ou adolescência e que serviam de referência para seu comportamento nos últimos anos de sua vida adulta.

Senti do sonho que gostar de alguém não depende puramente da vontade pessoal. Mesmo que haja respeito, proximidade e intimidade, se não houver o prazer da afinidade, pouco adianta querer sentir-se bem na presença do outro.

O sonho mostra a sua dificuldade, provocada pela presença negativa associada à sua irmã e pelo sentimento negativo alimentado por voce na relação com ela.

Quando o indivíduo é diferenciado do outro, esse outro não é capaz de alterar sua dinâmica interna e pessoal. Quando o outro, apenas com a sua presença altera a sua dinâmica pessoal, sentimentos, emoções, sensações, reações, pensamentos, independente desse resultado ser positivo ou negativo é porque ele é diferenciado.

Por enquanto a sua referência é apenas o prazer, mas o desprazer também é indicativo de afinidade, negativa é verdade, mas inevitavelmente afeto.

Eis seu desafio: superar o desacordo tônico entre vocês, reconstruir o significado e a representação de sua irmã. Recodificá-la, Resignificá-la. Para que a presença dela não determine alteração na sua dinâmica interna, para que possa ser diferenciada.

Abandone suas resistências, críticas, julgamentos, competição, inveja, despeito, jogue todo o sentimento negativo que sente por ela, no lixo. Perdoe-a, internamente, se tens ressentimentos ou magos e se tiver algo a ser perdoado. Reconstrua a imagem e a representação que tiver dela, aceite-a como uma pessoa, como é capaz de aceitar qualquer estranho. E você descobrirá que: Ela não é mais aquela, mas outra pessoa, outra mulher, outra irmã; Que você já não é a mesma do passado, que você já é outra mulher, outra pessoa, num outro tempo.

É preciso resignificar conceitos, resignificar a forma de ver e de codificar o mundo, as pessoas. Assim mantemos a preciosa Liberdade de existir de forma harmoniosa e plena sem os lixos e os resíduos de um passado traumático.

ah! um último detalhe: Voce deve se parecer muito com ela. Geralmente os outros nos incomodam naquilo que somos parecidos, repudiamos e que negamos em nós.

sábado, 16 de outubro de 2010

PÁTRIA MATER



   de volta pra casa

"Minha pátria é a língua Portuguesa" F. Pessoa

FEED BACK
Meu Pai faleceu com câncer de bexiga em 2001, portanto estive com ele até meus dezesseis anos (já que ele faleceu em janeiro e faço aniversário em setembro). Como sempre fui muito tímida, embora tivesse um bom relacionamento com ele (tinha mais afinidades com ele do que com minha mãe), não havia intimidade, pois tanto ele quanto eu tínhamos a personalidade introvertida e reservada. Nunca fui de dialogar ou me expressar, tanto com ele quanto com minha mãe e principalmente com minha irmã. Ele era o único que tinha contato com os filhos. Depois disso nunca mais soube de nada dos meus parentes portugueses até cerca de um mês atrás quando minha sobrinha me encontrou através do MSN. Por vezes trocamos algumas palavras, mas não temos muito assunto para falar. Sempre me interessei muito de saber dos meus antepassados paternos e de aproximar-me dessa outra parte de família tão distante. Não sei se essas informações me seriam accessíveis. Nem todo mundo gosta de remexer no passado e fico sem saber como abordar o assunto sobre meus avós paternos ou sobre a vida do meu pai antes da vinda para o Brasil.

É preciso buscar e tentar. Sem tentar nunca saberá se o universo familiar se tornará acessível ou se permanecerá em equilíbrio distante. Aprenda a perguntar. E o outro... Que tenha a opção de responder ou de se calar. Essa atitude de colocar luz no passado é interessante. Se há o que esconder, mais luz precisará, maior a responsabilidade de aprofundar. Se não há o que esconder, não há o que temer. Mas um detalhe importante: Rapidamente você descobrirá que com carinho, cuidado, respeito, delicadeza, uma pitada de amorosidade, um pouco de sagacidade, muita paciência, e com o universo conspirando a favor, poderás ir longe, mais longe do que imaginas. E essa saga será preciosa, porque poderá descobrir não apenas segredos que deverão ser guardados e protegidos, mas a preciosidade e a riqueza de um passado ancestral. Não tenho dúvidas de que será uma busca preciosa na sua vida e na construção de sua história.

MENSAGEM PESSOAL

Como brasileiros, ou descendentes, somos conectados a linhagem portuguesa. Portugal é nossa pátria, e nossa Pátria não conhece fronteiras. Seja aqui ou além mar, ela é rica de cores, sabores, coragem e feita de poesia, mas é mais do que as outras porque ela é nossa pátria, nossa herança, nossa história. 

Eu posso lhe dizer: Quem sou eu sem a presença de Fernando Pessoa em minha vida? Aprendi a pensar me alimentando de sua prosa. Se sou o que sou, um homem que navega com norte, só o sou porque sou Pessoa, meu principio de lucidez, o término de minha solidão, meu alento, meu colo meu alimento de alma. Ah! minha cara! Não há como desprezar a riqueza de ter nas veias o sangue lusitano. Portugal está em nossas entranhas, em nossa formação, no sentimento, na emoção. Portugal é único. Nenhuma nação neste planeta conseguiu ser mais universal, e creio, é nossa grande riqueza. Nossa pátria é universal.

Navegar é preciso. Navegue, atravesse o oceano, o rio da vida. Faça o caminho de volta. Na tentativa de livrar seu pai do exílio a que se impôs. Chegue do lado de lá, na margem onde o passado encontra o futuro e descubra sua história, sua família. E... Se acolhida, respire aliviada, se não encontrar guarida, prossiga sua vida de forma plena, com a certeza de ter feito o melhor.

A VIDA AGRACIA OS QUE SE EMPENHAM EM REALIZAR SEUS DESÍGNIOS

By.

sexta-feira, 15 de outubro de 2010

VIRGO INTACTA

Adriane Galisteu -
aos 8 meses de gravidez
imagem editada


IN AETERNUM MATER VIRGO INTACTA

Sonhei que estava encontrando com a entidade de uma cigana e ela confirmou que eu estava grávida e prometeu me ajudar a encontrar um filho. Era estranho o fato de eu ter engravidado do nada, do tipo a lenda da Virgem Mãe. De todo modo, se eu ainda não estava grávida, ficou subentendido que eu ia ter um filho e precisava arrumar um pai, fosse ele o pai biológico ou não. Fiquei imaginando arrumar um homem para ser o pai providencial de um filho vindo do nada. Se arrumar um namorado já me parece quase uma missão impossível, como então conseguiria arrumar um pai para meu filho? Estava eufórica e esperançosa por saber que cumpriria o propósito pré-estabelecido e karmático de ser mãe e fiquei feliz ao saber que teria a sorte de ter a companhia de um homem, entretanto parecia difícil crer que tudo daria certo conforme planejava a cigana. Ela me disse que eu podia deixar por conta dela e por mais que estivesse agoniada para tomar uma atitude, senti que nada eu teria para fazer por falta de uma solução que pudesse ser planejada e seguida da minha parte.

O que esse sonho reprisa das velhas questões já abordadas?

O SONHO

Sonhos são como ciclos: se não superarmos nossas dificuldades, repetimos nossos equívocos, e os sonhos repetem os alertas ciclicamente.

Estar grávida pode significar estar fecundada de bons fluidos. A chuva fecunda a terra que transforma o germe. Você pode estar grávida como quem desenvolve o fruto, enriquecida de dinâmicas de transformações. E chegará a hora em que o nascimento se dará, o fruto aflorará para que possa colher os resultados do seu trabalho e do desenvolvimento que realiza. Bom augúrio.

O sonho indica a sua natureza de Matriz, divina como mulher, com o poder de gerar vida e chama-lhe atenção para que amplie seus conceitos quanto ao poder divino, muito alem de sua capacidade de escolha e decisão.

Não que isso a coloque numa situação do “deixe-me ser levado”. Já lhe disse em outra leitura, ninguém deixa nada, nós somos conduzidos por forças além do nosso poder e arbítrio. E quando lutamos contra essas forças promovemos desarranjos e sofrimentos, nadamos contra o fluxo.

O sonho indica-lhe sua natureza reprodutiva, aquilo que faz da mulher um ser especial e matriz da vida. E você como matriz jovem está preparada para realizar o milagre da multiplicação. Como você não é uma Virgem Maria, até prova em contrário, precisa se tornar impura, cometer o pecado para depois da concepção se purificar com a dor do nascimento. E fará isso encontrando o parceiro e permitindo que esse parceiro realize a fecundação, que transforma o verbo e materializa o corpo. Se a virgem escolhida é fecundada pelo sopro (ânima) divino, você precisa partilhar e comungar com seu oposto para realizar o milagre da concepção.

Não se engane na ideia de que nada há a fazer, esperando que resultados caiam do céu. É necessário preparar a terra, o corpo, preparar a semente, o espírito, conquistar a chuva, o homem, que possa fecundar o solo. Estar atenta para montar no cavalo selado que passe à sua frente e se preparar para que na hora definitiva do encontro você possa, feito a sua parte, realizar o seu destino.

A idade lhe permite ainda um tempo natural, mas é preciso superar suas dificuldades e abrir as portas para que esse homem seu companheiro, surge e penetre em sua vida. A vida é muito generosa com aqueles que se preparam. Você tende a viver o papel de vítima como se a vida lhe negasse o direito de realizar sua maternidade, mas mesmo que desejasse relações afetivas com parceiro na sua vida, você se boicotava na sua dinâmica de maturação, aprisionada no seu mundo infantil das fantasias.

Agora, mais inserida no mundo adulto, suas possibilidades se renovam. E lembre-se: aproveitam as boas oportunidades aqueles que se preparam para elas.